GESTAÇÃO TARDIA

De um modo geral, o universo feminino mudou muito a partir de 1960. As mulheres foram para as universidades e passaram a disputar espaço no mercado de trabalho. Além disso, o desenvolvimento de método anticoncepcionais  seguros lhes permitiu definir o momento oportuno para engravidar.

Diante dessas novas possibilidades de desenvolvimento pessoal e carreira algumas passaram a optar por ter filhos mais tarde, depois dos 35 anos.

Por mais que os médicos alertem sobre os riscos de uma gravidez tardia, após os 35 anos, números recentes mostram que esse comportamento tem crescido e está se firmando como uma tendência social. Muitas mulheres têm postergado a gestação para se dedicar à profissão e alcançar uma vida estável. O índice saltou de 5% na década de 1970, para 16,6% na década de 2000.

A medicina tem se preparado cada vez mais para lidar com a nova e delicada realidade. Quando a mulher decide fazer uma fertilização in vitro, ela pode identificar o risco de anomalias genéticas antes do embrião ser implantado. Mas se a gestação já tiver ocorrido, a mulher deve passar por um rastreamento de anomalias. São exames de sangue e ultrassom que apontam o risco de doenças genéticas.

Aos 20 anos, o risco de anomalias genéticas é de 0,5%. O índice dobra aos 35 anos, passa para 2% aos 37 anos, chega a 5%  aos 40 anos e alcança 10% aos 44 anos. A principal anomalia é a síndrome de Down.

O preparo antes da gestação também é fundamental. Isso porque o risco de abortamento salta de 10% em mulheres de 20 anos e para 40% aos 40 anos. A mulher precisa estar com o metabolismo adequado, dentro do peso recomendado e em boas condições físicas. Isso vai contar em favor da própria fecundação, que tem apenas 40% de sucesso aos 40 anos. Em jovens de 20 anos, o índice chega a 80%.

Embora o foco das preocupações seja a saúde do feto, a saúde da mulher também corre riscos maiores em gestações tardias. Ela pode ter hipertensão, alterações cardíacas e diabetes.

Apesar dos riscos, a gravidez tardia tem suas vantagens. Ela costuma ser algo planejado. A mulher se considera mais preparada para receber um filho e para cuidar dele. Esse aspecto emocional é muito importante.

A seguir listamos as principais vantagens e desvantagens da gestação tardia:

VANTAGENS

– A mãe tem uma melhor condição financeira;
– A mãe e/ou pai têm situação estável no trabalho;
– A mãe sabe melhor sobre o que quer;
– O filho pode ser mais desejado e querido;
– O casal poder ter uma relação mais equilibrada;
– A mãe e/ o pai se sentem mais seguros para enfrentar a educação do bebê;
– Ambos já superaram suas etapas de vida e sabem o que acarreta ter um bebê em casa;
– Às vezes, quando não se trata do primeiro filho, pode gerar mais tranquilidade à mãe na hora de ter e educar seu bebê;
– Não vêem os cuidados com o bebê como um sacrifício, e sim, como uma compensação;
– A mulher mais madura não terá a sensação que têm muitas mães muito jovens, de que foi impedida de desenvolver outras fases na sua vida e de que seu bebê atrapalhou ou atrasou seus sonhos de desejos.

DESVANTAGENS

Mais que uma desvantagem, o melhor seria situá-los como incômodos.

Não referimos aos exames e controles pelos quais devem passar as mulheres durante a gravidez como forma de detectar possíveis anomalias e outros possíveis problemas associados à idade avançada da mãe. Não se pode ignorar que os riscos de saúde, tanto na mulher como no bebê, aumentam também com a idade.

Outro ponto que gera preocupação na maternidade tardia, é que em muitas famílias o cuidado com o bebê, tenha que acumular com a tarefa de atender a uns pais mais velhos ou doentes, o que pode causar um estresse na mulher, devido ao provável sentimento de impotência e de frustração  para levar a situação.

Quando se trata de um primeiro filho de mãe maior de 35 anos, a tendência é que se convertam filho único ou que aconteçam gravidezes rápidas para aproveitar os anos férteis.

Mas tudo isso são somente situações e experiências. Se você tem mais de 35 anos e está esperando um bebê, deve estar consciente de que acima de qualquer problema ou dificuldade sempre predominarão as vantagens de ser uma mãe mais velha.

 

Danielle Negri
Pediatria / Neonatologista
Médica Supervisora UTI Neonatal Perinatal Barra
Contatos: Consultório – 2512-8409
Email – dradani@daniellenegri.com.br
Site   – www.daniellenegri.com.br

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *